Quinta, 09 de Dezembro de 2021
17°

Tempo aberto

Cascavel - PR

Cotidiano TJ-PR

Viapar tem pedido negado para prorrogar contrato em rodovias do Paraná

A licença da concessionária se encerra no sábado (27/11/2021) e os serviços vitais prestados pela empresa serão interrompidos.

25/11/2021 às 15h40 Atualizada em 25/11/2021 às 15h44
Por: Da redação Fonte: Assessoria
Compartilhe:
Viapar tem pedido negado para prorrogar contrato em rodovias do Paraná

O juiz federal Friedmann Anderson Wendpap, da 1ª Vara Federal de Curitiba, indeferiu o pedido de prorrogação do prazo de vigência do contrato de concessão da Viapar.  A licença da concessionária se encerra no sábado (27/11/2021) e os serviços vitais prestados pela empresa serão interrompidos. 

RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS PELO WHATS. ENTRE NO GRUPO 

O pedido da concessionária é contra o DER/PR, o DNIT, o Estado do Paraná, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a União, solicitando dar continuidade da operação no trecho do Lote 2 do Anel de Integração do Paraná por ao menos três meses. Assim, alega a concessionária, preservando suas obrigações de manutenção, conservação e atendimento ao usuário. 

A Viapar alega que o Poder Concedente vem descumprindo a revisão tarifária a cada período não superior a dois anos. Justificou ainda que são inúmeros os fatores de desequilíbrio econômico-financeiro. Nesse contexto, afirma que a prorrogação do contrato de concessão seria a alternativa para prestigiar o princípio da proporcionalidade, à medida que sopesa a inércia estatal na apreciação dos pedidos de revisão e a inexistência de concessionária sucessora. 

Ao indeferir o pedido de prorrogação do contrato, o magistrado  alega que a Viapar quer estender o prazo de concessão em seu favor, ainda que alegue  benefícios aos usuários. “O ordinário se presume; o extraordinário, se prova. A inteligência desse apotegma aplicada ao caso em exame diz que a prorrogação do contrato é medida absolutamente fora da inteligência que informou a avença e que a tal mister deveria haver prova pronta e incontestável. A excepcionalidade deveria ser demonstrada ad nauseam para que as partes pudessem estender o prazo de execução do contrato”, complementa o juiz federal. 

Wendpap esclarece ainda que a carência de serviços no trecho gerido pelo Viapar a partir de sábado é tema a ser tratado entre usuários e autoridade administrativa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias