Sábado, 28 de Novembro de 2020
(45) 99102-6309
Cotidiano Manifestação

Professores ocupam Assembleia em protesto contra contratação PSS

No momento da ocupação, os deputados realizavam sessão remota da Casa, que foi suspensa

18/11/2020 18h20
Por: Da redação Fonte: Bem Paraná
Professores ocuparam parte do prédio da Alep
Professores ocuparam parte do prédio da Alep

Professores e funcionários de escolas públicas estaduais ocuparam nesta quarta-feira (18) parte do prédio administrativo da Assembleia Legislativa, em protesto contra o edital aberto pelo governo para a contratação de profissionais pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS). Eles pedem a suspensão do edital. No momento da ocupação, os deputados realizavam sessão remota da Casa, que foi suspensa.

RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS PELO WHATS. ENTRE NO GRUPO

Ontem, os professores já haviam realizado uma marcha pelo Centro Cívico contra o edital. Representantes da APP-Sindicato foram recebidos pelo chefe da Casa Civil, Guto Silva; o diretor-geral da Secretaria de Estado da Educação, Glaucio Dias, e o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri.

O governo informou que o pedido de suspensão do edital será avaliado por um grupo de trabalho com a participação das secretarias da Fazenda, Administração e Previdência, Procuradoria Geral do Estado, além da Casa Civil e da Educação. Em paralelo, técnicos da Fazenda, da Casa Civil e da APP-Sindicato vão acompanhar questões orçamentárias pertinentes às demandas para analisar sua viabilidade. 

Além da revogação do edital, os professores reivindicam a realização de concurso público, o cancelamento do processo de terceirização de funcionários(as) de escola, a prorrogação dos contratos desses profissionais contratados pelo regime PSS, pagamento do salário mínimo regional e das promoções e progressões.

Atualmente mais de 20 mil professores da rede pública estadual trabalham pelo regime previsto no processo seletivo simplificado. Esse tipo de contrato não garante carreira e permite que o profissional seja demitido a qualquer momento.

A legislação prevê essa forma de contratação para “atender a necessidade temporária de excepcional interesse público”, mas a prática tem sido recorrente desde 2005 e para preencher o déficit de professores provocado pela falta de contratação através de concurso público, diz a APP.

Uma das críticas do Sindicato é de que não se deve aplicar prova para PSS, mas sim na realização de concurso. Outra preocupação é que o governo estima a inscrição de 90 mil candidatos que deverão se deslocar para 32 cidades onde serão realizadas as provas, provocando aglomeração de pessoas em meio a pandemia do novo coronavírus.

O líder do governo na Assembleia, Hussein Bakri (PSD), criticou a invasão da Assembleia. O parlamentar diz que vinha articulando junto à Casa Civil e à Secretaria da Educação uma solução a respeito do edital de contratação de 4 mil professores e pedagogos via processo seletivo simplificado (PSS) para 2021. Antes mesmo do desfecho da negociação, os sindicalistas invadiram a sede do Parlamento estadual, aponta. 

“Eu estava trabalhando no sentido construir um entendimento, e essa situação não contribui em nada para a negociação. É uma invasão desproporcional e desrespeitosa com o Parlamento. Tenho certeza que os deputados da oposição também não compactuam com isso. É um absurdo invadir o local de trabalho de qualquer pessoa”, afirmou Bakri.

3 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Cascavel - PR
Atualizado às 20h26 - Fonte: Climatempo
27°
Pancada de chuva

Mín. 19° Máx. 35°

28° Sensação
11.9 km/h Vento
56.6% Umidade do ar
67% (8mm) Chance de chuva
Amanhã (29/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 32°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Segunda (30/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 28°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Ele1 - Criar site de notícias